Plano de Gestão da Conservação

E-mail Imprimir
TxT-capa55O CECI lança mais um Texto para Discussão, o número 554, da Série II - Gestão de Restauro, do arquiteto Jorge Eduardo Lucena Tinoco. Trata-se da  TEORIA E PRÁTICA DA CONSERVAÇÃO – As Experiências do CECI no uso de Materiais e Técnicas Tradicionais.
Esse texto é uma comunicação que foi apresentada no I Encontro Luso-Brasileiro de Conservação e Restauro, realizado em 26 e 27 de Setembro de 2011, na cidade do Porto, Portugal, promovido pelo Departamento de Arte e Restauro da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa. O Texto faz-se uma narrativa sobre os materiais e as técnicas construtivas em Pernambuco, apresentando-se as origens, os mestres artífices e os principais ofícios tradicionais.  Mostra-se a pertinência do uso dos materiais e técnicas construtivas tradicionais na conservação e restauro do patrimônio construído com um dos fatores de intervenções sustentáveis e inteligentes. O Texto apresenta ainda algumas experiências do CECI no âmbito das intervenções de conservação a partir dos estudos e práticas ao longo das onze edições do curso de Gestão de Restauro e da prestação de serviços especializados executados pela Instituição
TxT-capa55 O CECI lança mais um Textos para Discussão, o número 55, da Série II - Gestão de Restauro, do arquiteto Jorge Eduardo Lucena Tinoco. Trata-se da PLANOS DE CONSERVAÇÃO - do ensino à prática, da academia aos canteiros de obras.
Esse texto é uma comunicação que foi apresentada no Encontro Internacional Arquimemória 4 de Preservação do Patrimônio Edificado, realizado em 14-17 de maio de 2013, na cidade de Salvador, Bahia (BR), promovido pelo O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), através do Departamento da Bahia (IAB-BA), em parceria com a Faculdade de Arquitetura (FAUFBA) e o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia (PPG-AU/UFBA. O Texto trata da necessidade de se implantar políticas públicas de conservação do patrimônio cultural construído que contemplem planos de gestão da conservação. Tais planos são documentos técnicos de planejamento que estabelecem políticas de administração para o uso adequado dos espaços e dos componentes construtivos, bem como da manutenção periódica dos imóveis de valor cultural. Tem como finalidade a garantia para a sociedade da integridade física do edifício e dos valores de significância do bem cultural que se quer preservar. Os contextos internacional e nacional são apresentados como paradigmas à adoção de planos de conservação como instrumento de planejamento estratégico para a preservação, mostrando a responsabilidade quanto à sustentabilidade das ações ensejadas nas intervenções de requalificação, restauração etc.. Destaca que a modelagem dos planos de conservação tem a orientação básica em dois pilares: na proteção às características de significação do edifício, relacionando aos valores culturais pelos quais é reconhecido e na garantia ética do respeito à autenticidade e integridade do bem. Apresenta os cases do CECI nas implementações dos planos de São Francisco e da Basílica da Penha como importantes laboratórios de pesquisas aplicadas para se construir reflexões sobre as questões dicotômicas entre o ensino e a prática, entre o pensamento acadêmico e a ação nos canteiros de obras. Conclui que os planos de conservação devem focar a conjugação de objetivos, metas e esforços dos gestores com as diretrizes institucionais de proteção do patrimônio.
 

Projetos

Baltar Biblioteca

conservar_2

Pátio de São Pedro

plano-diretor

istmo

Leia a revista internacional

CT

Parceria voluntária

Lima_e_Silva_Advogado_e_Consultoria

 

 

 

Elaboração e acompanhamento de projetos de incentivos fiscais oferecidos em âmbito federal, estadual e municipal.

Você está aqui: Home Publicações Textos para Discussão Plano de Gestão da Conservação